terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

AÇÃO DO VENENO


Ação proteolítica Causa destruição de tecidos (necrose).
Ação coagulante Provoca destruição direta ou coagulação do fibrogênio (proteína do sangue). Dessa maneira, faz com o que o sangue não coagule.
Ação neurotóxica As alterações que provocam mais comumente são as seguintes: queda das pálpebras superiores (ptose palpebral), perturbações da visão, obnubilação, torpor, sensação de adormecimento ou formigamento na região atingida, etc.
Ação hermolítica Na prática, essa ação é evidenciada pela eliminação da meta-hemoglobina (elemento do sangue) através da urina, que se apresenta com cor de coca-cola ou de vinho tinto.

SINTOMATOLOGIA

  As manifestações ou sintomas decorrentes da picada da animais peçonhentos são proporcionais à quantidade de veneno inoculado. Suas características variam segundo o gênero a que pertence o animal causador do acidente.

GRUPO BOTRÓPICO

Veneno de ações proteolítica e coagulante.
Todas as serpentes do gênero Bothrops (Jararaca, Urutu, Jararacuçu, etc.) produzem sintomas semelhantes, variando apenas de intensidade, de acordo com a quantidade de veneno inoculado.
Há sempre dor no local da picada, com aumento progressivo. Em seguida, a região afetada começa a inchar gradativamente e surgem manchas róseas (avermelhadas) ou cianóticas (azuladas ou arroxeadas). Depois aparecem bolhas, que inclusive podem conter sangue no seu interior. Quando as reações locais tornam-se mais intensas, aparece febre e ocorre frequentemente infecção secundária.
Nos casos leves não há vômitos, a não ser que o indivíduo picado seja muito emotivo. Nos acidentes graves podem ocorrer vômitos incolores, biliosos (amarelos-esverdeados) ou mesmo sanguíneos, seguidos de prostração, sudorose e desmaio. Quando há inoculação de grandes quantidades de veneno, como nas picadas das Jararacuçu, podem ocorrer hemorragias pelo nariz, gengivas, bordas das unhas, couro cabeludo e também pela urina, que se torna vermelha e turva.

GRUPO CROTÁLICO

   Veneno de ação neurotóxica e hemolítica.As picadas por Cascavel geralmente não provocam dor local que, quando ocorre, não é intensa, a região afetada permanece normal ou apresenta pequeno aumento de volume, com sensação de adormecimento ou formigamento. Após 30 a 60 minutos do acidente, aparecem dores musculares em uma ou várias partes do corpo, particularmente na região da nuca, obnubilação, diminuição ou mesmo perda da visão, pálpebras superiores caídas ou semicerradas (facies neurotóxica). Nesses casos, o acidentado sente tonturas, não consegue enxergar com nitidez, sua visão mostra-se turva com imagens duplas. Além disso, suas pálpebras permanecem semifechadas, dando uma expressão peculiar a face, chamada "facies neurotóxica".
Pode ocorrer ainda a eliminação de meta-hemoglobina (elemento do sangue) pela urina, que se apresenta em volumes reduzidos e com cor de coca-cola ou de vinho tinto. Em certos casos podem ocorrer vômitos.
Importante: A chamada facies neurotóxica indica caso grave.

GRUPO ELAPÍDICO

Veneno de ação neurotóxica.Os acidentes por Coral verdadeira geralmente não causam dor ou reação local. Logo após a picada, há formigamento ou adormecimento da região, com irradiação para a raiz do membro afetado. Cerca de 30 a 60 minutos depois aparece a citada "facies neurotóxica", caracterizada por pálpebras superiores caídas ou semicerradas, como nos acidentes por Cascavel. Esse quadro pode ser acompanhado de salivação grossa, dificuldade de engolir e, às vezes, de falar (articular palavras).Nos casos mais severos, há risco de vida por paralisia respiratória.Importante: Todos os acidentes por Coral verdadeira são considerados graves.

GRUPO LAQUÉTICO
















Os acidentes provocados por Surucucu parecem apresentar as mesmas manifestações observadas em casos de picadas por serpentes do grupo botrópico. São assinaladas também eventuais alterações da visão.

SERPENTES NÃO VENENOSAS

As picadas por serpentes não venenosas não provocam manifestações gerais, mas podem causar alterações locais, como dor moderada e, eventualmente, discreta inchação, com possível aparecimento de coloração avermelhada (eritema) na área atingida. Há indicações de que cobras verdes (Philodryas olfersii) possui atividades hemorrágicas, proteolítica, fibrinogenolítica e fibrinolítica estando ausente as frações coagulantes,. Podem provocar edema local importante, equimose e dor, porém não são observadas complicações nesses casos.