sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Mitos



Muitas pessoas me procuram perguntando a respeito de histórias que ouviram de parentes, amigos, vizinhos, e etc, tendo as serpentes como personagens principais. Histórias fantásticas, algumas até mesmo como se as serpentes pensassem e agissem como os humanos. É muito comum principalmente em cidades do Interior, ouvir falar desses mitos. Muitos símbolos e histórias estão associados a imagem das serpentes.


Nesta matéria começarei a falar sobre algumas destas histórias ou mitos envolvendo esses animais, mostrando a verdade por trás delas.


"Cobra que Mama"


Relato: “Uma serpente, de aproximadamente 8 metros, entra na casa de uma mulher, que deu a luz a poucos meses e ainda amamenta a criança. Essa cobra só entra de noite, enquanto a mãe dorme com a criança no colo. Com a cauda, a cobra tapa a boca da criança, para que a mesma não chore, e vai a procura do seio da mãe a fim de tomar o leite. A mãe adormecida, pensa que é a criança que esta mamando e não se dá ao trabalho de se levantar. Passado algumas semanas a mãe começa a perceber que o filho está desnutrido e não sabe por que pela manhã seu filho chora de fome se foi amamentado durante a noite. Essa rotina segue por dias, até que em uma noite o marido, chegando de viagem, se depara com a cena e mata a cobra a pauladas. Ao esmagar a cobra, o leite que a mesma ingeriu se espalha pelo piso, mostrando que a cobra estava a mamar a muito tempo.”


Verdade ou mentira?


Mentira


Em primeiro lugar devemos lembrar que as cobras são répteis, ou seja, as mesmas não se alimentam do leite. Podem ser ovíparas ou vivíparas, desprovidas de glândulas mamárias, sendo assim, não amamentam seus filhotes. Seu sistema digestório não está adaptado a essa alimentação. A dentição, a língua e a estrutura da boca das cobras não permite o ato da sucção. Por essas razões seus instintos não fazem ir a procura do leite. As cobras possuem uma camada de tecido adiposo (gordura) entre os músculos e a pele, camada essa que serve de reserva de energia. Essa camada é esbranquiçada, muito semelhante ao leite coalhado. A lenda surgiu a muitos anos quando um homem ao chegar na sua casa vê uma cobra ao lado da cama de sua esposa que a pouco tempo havia dado a luz e ainda amamentava a criança. Matando a cobra com uma madeira, o pai viu se espalhando pelo assoalho a camada de gordura presente no corpo da serpente. Ao ver aquilo acredita que seja o leite bebido pela cobra, que coalhou no corpo dela. Associando esse fato a desnutrição da criança, chegou-se a conclusão de que a cobra estava bebendo o leite materno todas as noites.


“Encantador de Serpentes”


Relato: “Em países como a Índia, existem muitos encantadores de serpentes. Os mesmos hipnotizam as serpentes tocando musicas em flautas. A serpente fica encantada pelo som e ritmo da musica, e o encantador tem o domínio total sobre o animal.”


Verdade ou mentira?


Mentira:


Muitos vão se assustar, mas as serpentes são praticamente SURDAS. Desprovidas de ouvido externo, tem uma capacidade auditiva muito baixa. Sendo assim, quase não ouvem a musica do encantador, nem mesmo tem senso do que é melodia, ou ritmo. Como funciona o truque: O “encantador” coloca a serpente dentro de um cesto qualquer. Ao abrir a tampa, a serpente tem o impulso de sair do cesto. Isto da a impressão de estar seguindo a musica. O fato de não possuírem pálpebras, faz com que pareçam estar hipnotizadas, com o olhar fixo na flauta. Para fazer com que as serpentes sigam os movimentos da flauta, o


“encantador” pincela a ponta da flauta com urina de rato. Esse cheiro é atrativo as serpentes, pois se alimentam desse roedor. Por isso dá-se a impressão de que o homem obtém “controle” sobre as serpentes através da música.


“Cobra deixa seu veneno em uma folha, antes de entrar na água.”


Relato:Na beira de um lago, um homem vê uma cobra deixando seu veneno em cima de uma folha antes de entrar na água. A mesma vai até o lago, entra e o atravessa a nado. Quando retorna a margem do lago onde o homem está, a serpente ingere seu veneno e vai embora pela mata.”


Verdade ou mentira?


Mentira:


As serpentes peçonhentas precisam de um estimulo pressórico em sua glândula produtora de veneno para que este seja expelido através das presas inoculadoras. Sendo assim, o veneno não pode sair apenas com o ”pensamento” do animal. Uma vez o veneno inoculado ou lançado em algum lugar, a serpente não o ingere, ou aspira-o novamente. Outro fato importante é que no Brasil, as serpentes com hábitos aquáticos NÃO são peçonhentas, ou seja, não possuem veneno para deixar em folha alguma e as serpentes peçonhentas não tem hábitos aquáticos, podendo entrar na água apenas em casos específicos. O mito teve origem na ocasião em que um homem ao ver uma serpente entrando num lago percebe que uma folha da vegetação está com gotículas de orvalho e acredita que esse orvalho seja na verdade o veneno que a cobra deixou antes de entrar na água.

"Cobra Engarrafada"



Relato: “É muito comum encontrar em bares, principalmente no interior do estado, garrafas de bebidas alcoólicas contendo uma cobra morta em seu conteúdo. Essa bebida tem poderes afrodisíacos e medicinais. Aqueles que a bebem buscando seus poderes afrodisíacos, tem a sua libido e virilidade aumentadas. Muito utilizado


por pessoas com problemas de impotência ou insatisfação sexual. Usam seus poderes medicinais também em pessoas que foram mordidas por cobras. Aplica-se essa bebida no local da picada e dá-se um pouco para que a vitima beba, neutralizando assim a ação do veneno.”



Verdade ou mentira?



Mentira:


Relato muito comum e imensamente difundido na cultura brasileira. A utilização de uma serpente curtida em uma bebida alcoólica em nada altera as propriedades da bebida, ou seja, não a torna nem afrodisíaca e nem medicinal. A serpente muitas vezes é vista como símbolo sexual devido ao isomorfismo da sua constituição oblonga, fálica, a sugere como símbolo Kundalini hindu – reservatório energético que se encontra na espinha dorsal do homem (a serpente de nossa energia sexual). Também a serpente tântrica, da qual a libido da teoria freudiana é a formulação ocidental. E as propriedades médicas são associadas pelo uso da serpente como símbolo da medicina. Lembrando que, como escrevi no artigo “Animais Peçonhentos” , não se devem usar quaisquer substâncias ou produto no ferimento por picada de animais peçonhentos e também não dar substâncias alcoólicas para vitima ingerir, podendo muitas vezes agravar seu quadro clínico.


Sucuri Engole Boi"



Relato: “Há inúmeros relatos de pessoas que viram uma enorme cobra (Sucuri) engolindo um boi. Muitas pessoas têm medo dessa serpente e sua fama já chegou a vários países, citando a sucuri como uma das maiores e mais perigosas serpentes da América do Sul, devido sua capacidade de engolir um boi inteiro.”


Verdade ou mentira?



Mentira :



Apesar de chegar até os 10 metros, o que a coloca entre as 6 maiores cobras do mundo, a Sucuri (Eunectes murinus), não tem a capacidade de engolir um boi. Muitas lendas surgem ao redor desse animal, devido ao seu tamanho. Em 1907 o explorador Sir Percy Fawcett afirmou ter matado uma Sucuri, aqui no Brasil com 18,9 metros. Entretanto, nunca se constatou o fato. A Sucuri não é peçonhenta e mata sua vitima por constrição. Alimenta-se de aves, jacarés e de mamíferos como capivaras e pequenos bezerros de até 40 kg, mas nunca um boi.




"Bafo da Jiboia"




Relato: “A Jibóia, quando ameaçada ou em busca da sua presa, elimina um bafo venenoso capaz de imobilizar e até mesmo matar sua presa ou agressor. Esse bafo vem acompanhado de um “urro” característico, mostrando assim seu poder agressivo”



Verdade ou mentira?



Mentira:



Em primeiro lugar deve-se saber que a Jibóia (Boa constrictor constrictor) não é uma serpente peçonhenta. Sendo assim, não possui glândulas secretoras nem canal inoculador de veneno. Mata suas presas por constrição, enrolando-se ao corpo da vitima e comprimindo-a até que fique imobilizada. Quando se sente ameaçada, expira o ar dos pulmões com muita força, que ao passar pela glote produz um ruído característico. O “Bafo da Jibóia” nada mais é do que a eliminação violenta do ar contido em seus pulmões, não havendo veneno ou toxidade alguma nesse ar eliminado. Como mecanismo de defesa, algumas vezes esse fenômeno pode vir acompanhado de uma mordida.


4 comentários:

  1. MUITO BOM ! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog sobre tênis e retribua o comentário ! : breakpointbrasil.blogspot.com/ - SIGA MEU BLOG E MEU TWITTER, que eu sigo o seu de volta !twitter @breakpointbr, caso queira seguir. Se puder me LISTE :-)

    Obrigado !

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua colocação sobre o que é verdade e o que é mentira sobre as serpentes. Realmente, elas são surdas e nada sociaveis com o ser humano. Agora sobre as jiboias darem o famoso "bafo", até que seria verdade, mas elas só soltam esse "bafo para assustar os predadores, e não para matar eles. Uma vez que são da familia Boidae(constritoras), matam por asfixia.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, pois cansei de ouvir até de professores sobre a cobra deixar o veneno em folhas ao beber água, para não ingerir o próprio veneno.

    ResponderExcluir