domingo, 20 de março de 2011

No Brasil, encontramos quatro famílias de Serpentes




Boídeos
Serpentes grandes, não venenosas, muito fortes, que matam por constrição, enrolando-se em suas vítimas e apertando-as até que elas sufoquem. Exemplos: Sucuri, Jiboia, Salamanta, Cobra papagaio.
As cobras desta família usam seu grande corpo e enorme força para matar suas presas; em geral aves, mamíferos de médio e pequeno porte e outros répteis; através de um processo chamado de constrição. A constrição é o chamado “abraço de cobra”, e deu o nome científico a esta espécie (Boa constrictor). Quando pega uma presa, a jibóia se enrola nela e aperta firmemente, até que sente, com o corpo, que a respiração e os batimentos
cardíacos da presa cessaram. Então, abre a boca e engole a presa inteira, pois as cobras não possuem dentes para mastigar seu alimento. É muito rápida, e consegue pegar até mesmo morcegos em pleno vôo na entrada das cavernas onde eles moram!

Não é verdade que com o “abraço” a cobra tenta quebrar os ossos da vítima, embora alguns mais fracos possam se partir com a pressão. Também não é verdade que ela envenene ou marque a pele das pessoas com o bafo. Na verdade, quando assustadas, elas emitem um som agudo para tentar desestimular algum predador de se aproximar.

Crotalídeos, ou Viperideos

São cobras peçonhentas (venenosas), que injetam seu veneno através de dentes ocos situados na parte anterior da cabeça. Exemplos: Jararacas, Cascavel, Surucucu e etc ....

Elapídeos
Serpentes peçonhentas, que injetam o veneno através de dentes sulcados, na região anterior da boca. Exemplos: Coral - Verdadeira, Naja, Mamba negra e etc.

Colubrídeos
Apresenta diversas espécies de cobras não venenosas, algumas bastante úteis ao homem. Exemplos: Cobra - Cipo, Cobra-D'agua, Caninana, Muçurana, Cobra do Milho e etc .

Nenhum comentário:

Postar um comentário