sábado, 26 de março de 2011

Orgaos de sentimentos
As serpentes podem localizar suas presas por olfato (quimiorrecepção), visão ou por termoorientação.
A quimiorrecepção é um sentido básico das serpentes, onde a língua bífida ou birfucada é colocada para fora da boca, capturando moléculas odoríferas no ar e transportando ate o órgão de Jackobson, processando assim as informações. Espécies de columbrideos noturnos ( ex: Oxyrhopus e Siphlophis) e fosseriais (ex: Atractus) e as espécies de Micrurus, devem localizar suas presas utilizando este sentido.
As espécies diurnas e de hábitos subarboricolas ou arborícolas (ex: Chironius e caninana, Spilotes pullatus), apresentam a visão desenvolvidas. Ahaetulla prasina, uma espécie asiática, apresenta a pupila do olho horizontal e o focinho afilado proporcionando uma visão binocular.
As fossetas labiais dos boideos (ex: carallus) e a fosseta loreal dos viperideos (cascavel,jararaca), proporciona a termoorientaçao para estas serpentes. Estes órgãos funciona como um radar térmico, auxiliando na localização de presas endotérmicas (ex: roedores) durante a noite.

Estratégias de caça de algumas serpentes

Engodo Caudal: É o comportamento dos juvenis de algumas espécies para atrair as presas (anuros,lagartos) atraves de movimentos sinuosos e ondulações da ponta da cauda. A serpentes permanece Parada , movimentando a cauda e, quando a presa se aproxima , ela a captura.
Esta técnica é empregada pelos juvenis de algumas espécies de Bothrops e de Tropidodryas striaticeps. Como a ponta da cauda desse juvenis destas epecies e de coloração branca ou amarela e sem escamas , assemelha-se a uma “larvinha” e atrai suas presas como anuros e lagartos. É possível que juvenis de Bothrops atrox utilizem o engodo caudal para atrair a serpentes Tantilla melanocephala, que se alimenta de larvas.
Esquadrinhar a cauda: Este comportamento foi rigistrado para as surucucu-do-pantanal. Neste comportamento de caça, a serpente usa a cauda para sondar o ambiente (área de gravatazal ), sendo que o movimento de calda espanta as rãs que ali estão obrigadas. Ao perceber a fuga da rãs, a serpente inicia a perseguição.
Enterra –se na areia: Algumas espécies africanas, como a Cerastes cerastes, costumam enterrar-se na areia a espera de suas presas.

Itens alimentares
Uma grande variedade de presas faz parte das dietas das serpentes: Aranhas, caracóis, lesmas, morcegos, minhocas, peixes, girinos, anuros, lagartos, serpentes,jacarés, ovos, etc...Aquelas que utilizam apenas um tipo de presa são consideradas especialistas e as que incluem vários tipos de presas são consideradas generalistas. Existem nomes que designam as categorias de serpentes segundo sua dieta: BATRACÓFAGAS, que se alimenta de anuros; RODENTIVORAS,que se alimenta de roedores;SAURIVORAS que se alimenta de lagartos; OFIOFAGAS que se alimentam de outras serpentes; MOLUSCIVORAS, que se alimentam de moluscos e PISCIVORAS, que se alimentam de peixes. E algumas espécies sendo conhecidas como generalistas come vários tipos de presas.


Um comentário:

  1. Postagem interessante. Já vi esse vídeo, mas sempre que o revejo, me bate um nojo...

    ResponderExcluir